FIMMA BRASIL

BLOG

Conheça os diferentes painéis de madeira para móveis

Os painéis de madeira predominam na indústria moveleira e se você está pensando em ingressar nesse setor precisa saber os diferenciais, vantagens e desvantagens de cada um deles. Confira as especificidades na utilização de cada um.

 

MDF (MEDIUM DENSITY FIBERBOARD)

O MDF é uma chapa de fibra de madeira de média densidade e tem como principal apresentar as faces com maior densidade do que a camada interna. Esse material é semelhante à madeira quanto às propriedades, considerando a forma de modelar a matéria-prima.

  • Aplicações

O MDF permite receber formas arredondadas e com riqueza de contornos. É recomendado para os casos que necessitem de usinagens de baixo relevo ou topo, pois proporciona melhor resultado de acabamento.

  • Vantagens

Podem ser aplicados diversos tipos de revestimentos, como lâminas de madeira, papéis impressos, pintura ou impressão. Os painéis podem ser cortados em qualquer sentido, devido à orientação de suas fibras, mantendo o acabamento da superfície liso e uniforme ao toque. É resistente e de baixo custo, para produção em escala.

  • Desvantagens

Assim como os demais painéis de madeira e como a própria madeira, é vulnerável a ambientes úmidos. Nessas condições, é indicado que a superfície e o topo sejam revestidos. Além disso, dependendo da dimensão da peça, possui grande propensão ao empenamento, devido a suas pequenas fibras.

 

HDF (HIGH DENSITY FIBERBOARD)

Material muito semelhante ao MDF, o HDF é uma chapa de fibra de madeira de alta densidade e seu diferencial está na maior pressão aplicada durante o processo de fabricação, portanto suporta mais peso e resiste a vãos maiores sem a necessidade de reforço na comparação ao MDF.

 

MDP (MEDIUM DENSITY PARTICLEBOARD)

MDP é  um painel de partículas de média densidade, resultado do uso de prensas contínuas, modernos classificadores de partículas e softwares de controle de processo, associados à utilização de resinas e madeira de florestas plantadas. O MDP pertence a uma nova geração de painéis de partículas de média densidade, com características superiores e totalmente distintas dos painéis de madeira aglomerada de antigamente. Ele apresenta maior densidade das camadas superficiais, três camadas de produção interna, grande homogeneidade e uniformidade nas camadas, propriedades mecânicas superiores, melhor resistência ao tirar parafusos, menor absorção de umidade e menor propensão ao empenamento.

  • Aplicações

O MDP é mais indicado para móveis de linha reta e formas orgânicas, que não exijam usinagens em baixo relevo ou cantos arredondados, tais como portas retas, laterais de móveis, prateleiras e divisórias.

  • Vantagens

O MDP é o painel de madeira mais utilizado no mundo por ser econômico e competitivo, oferecendo qualidade, resistência e baixo custo para produção em escala.

  • Desvantagens

Assim como os demais painéis de madeira e como a própria madeira, é vulnerável a ambientes úmidos. Nessas condições, é indicado que a superfície e o topo sejam revestidos.

 

COMPENSADOS

O compensado foi o primeiro painel de madeira industrializada a ser inventado. É um composto de lâminas de madeira sobrepostas em número ímpar de camadas, formando um ângulo de 90° entre elas, unidas por adesivos e resinas por meio de pressão e calor. As principais madeiras utilizadas para produzir compensados são a virola e o pinus. Há dois tipos de compensado: o multilaminado, composto apenas de lâminas sobrepostas e cruzadas, e o sarrafeado, que possui essa estrutura nas superfícies, mas tem, no interior, um tapete formado de madeira serrada. O segundo é mais caro devido ao processo de fabricação e à menor procura.

  • Aplicações

Na indústria moveleira, são usados na fabricação de armários, prateleiras, repartições e revestimentos e bases para estofados ou poltronas.

  • Vantagens

Podem ser de uso interior e de uso exterior ou à prova d’água, dependendo do revestimento. Sua versatilidade permite, através da conformação das lâminas, criar superfícies curvas.

 

AGLOMERADOS

Os aglomerados surgiram na década de 40, usando serragem e restos de madeira unidos por cera e resina, para fabricar um novo tipo de compósito. Atualmente, com a evolução dos processos tecnológicos, são menos utilizados, pois perderam espaço para o MDP. As chapas não resistem à umidade ou variações de temperatura, em comparação com o compensado. No entanto, quando o custo é primordial, trata-se da melhor opção.

 

Fonte: Sebrae RS

Imagens: divulgação internet

 

adminfimma

view all post
Leave a comment

Please be polite. We appreciate that.

By Daniele Zedda • 18 February

← PREV POST

By Daniele Zedda • 18 February

NEXT POST → 34
Share on

Rua Avelino Luiz Zat. 95 3° andar - Sala 09 - Caixa Postal 205 | Centro Empresarial de Bento Goncalves - Bento Gonçalves - RS - 95703-365 | Fone +55 54 3039 0096 | E-mail rosangela@adrisilva.com.br